sábado, 16 de julho de 2011

Como Tornar sua Empresa mais Criativa

Houve um tempo em que falar sobre treinamento em criatividade era garantia de receber olhares espantados e a pergunta: "Criatividade !? Para quê ?". Mas as coisas mudaram. Hoje, mesmo com as indagações sobre o tema, o que mais tenho visto é que muitas empresas vêm fazendo esse tipo de treinamento.

Então, as empresas ficaram mais criativas ? E se ficaram, como avaliar e ,principalmente, como maximizar os efeitos desse treinamento? Existe uma grande diferença entre treinar pessoas e ampliar a criatividade da empresa.


Em primeiro lugar, precisamos definir o que é uma empresa criativa.


Sob o prisma comportamental, poderemos dizer que a empresa criativa é aquela cujos colaboradores são flexíveis, administram bem as mudanças, possuem uma constante vontade de aprender e uma certa insatisfação construtiva, que os faz querer sempre ir além. Tudo isso sem deixar escapar visão de futuro, capacidade para trabalhar em equipe e estrutura participativa.


Estes aspectos, por suas próprias características são de difícil - mas não impossível - avaliação.


Entretanto, os produtos mais evidentes da criatividade são as idéias. Então pergunto se é justo esperar de um programa de treinamento as idéias que a empresa está precisando. Sim e não. Justo porque o treinamento já é uma prática. Injusto porque a maioria das empresas carece de uma estrutura que vai resgatar, avaliar e finalmente implantar as idéias que surgem durante o treinamento e que, espera-se, surjam depois.


Mas é também possível darmos prosseguimento ao treinamento, e assim garantir a sedimentação e aplicação do aprendizado.


Sugiro as seguintes formas de continuidade:


Aplicação Monitorada - Mesmo que o objetivo do treinamento seja mais genérico, a empresa pode escolher uma situação ou tema que careça de idéias. Findo o treinamento, a empresa pode estimulá-las e cobrá-las.


Workshops - Eventos voltados para geração de idéias e/ou resolução de problemas de interesse específico. Um consultor, interno ou externo, atua como facilitador, estimulando os participantes a gerarem e avaliarem idéias.
Comunicação Interna - Envio de artigos, exercícios e jogos que estimulem a criatividade.

Reuniões Periódicas - Encontros com ex-treinandos para discussão da aplicação dos conteúdos apresentados.


Campanhas - Programas temporários voltados para o exercício de aspectos comportamentais ( ex.: campanha da iniciativa ) ou para a geração de idéias (ex.: campanha de redução de custos).


Laboratório de Criatividade - Montagem e monitoramento de sistema contínuo de amparo aos processos de mudança e de geração de idéias.
Trata-se de um SOS, que envolve a formação de facilitadores que atenderão os demais colaboradores sempre que houver necessidade.


Banco de Idéias - Organização e reciclagem de dados sobre idéias da empresa e de outras, novos produtos , cenários e determinação de áreas específicas para a geração de idéias. O banco fica à disposição de quem quiser se inspirar.


Estes são apenas alguns exemplos. As empresas podem usar sua criatividade e gerar outras formas de intervenção de acordo com suas necessidades e características. Cabe, aí, o diagnóstico de um especialista.


O importante é não deixar de criar.

FONTE: Gisela Kassoy

4 comentários:

Tudo evolui, uma empresa criativa se insere na cadeia da evolução e melhores resultados!

Uma empresa criativa sempre sairá na frente de qualquer empresa que não tenha o pensamento criativo, mas uma empresa inovadora estáa frente das 2 pois conseguem tirar um novo dinheiro e assim por diante tornado o crescimento dela cada vez maior.

Criatividade é uma qualidade importante para as empresas, saber sair de uma situação com reverência, reinventar um conceito de se fazer algo....Quem possuí criatividade tem um diferencial no mercado.

A criatividade é sempre bem vista, e ainda é um diferencial no mercado!