quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Investimento coreano no Brasil sobe 213% em 2011

24/08/2011 - 09h19

Metódico como o empresário japonês e ousado como o chinês. É assim que advogados e consultores do setor corporativo definem o perfil do empreendedor coreano, que tem aumentado a presença no Brasil.

O IED (Investimento Estrangeiro Direto) da Coreia do Sul no Brasil de janeiro a julho de 2011 mais que triplicou em relação ao verificado no mesmo período de 2010. Saltou de US$ 194 milhões para US$ 608 milhões, um aumento de 213,4%.

O tigre asiático ficou entre os 10 países que mais investiram no país neste ano. Em 2010, estava na distante 21ª colocação.

A combinação de cautela e ousadia, que pode parecer contraditória, faz dos coreanos empresários bem-sucedidos, que não costumam voltar atrás depois de uma decisão tomada.


"Eles demoram a decidir, tudo parece um pouco burocrático. Mas, depois de estabelecidas as diretrizes de um negócio, são muito ágeis e eficazes em transformar em realidade", diz Martim Machado, sócio do Campos Mello Advogados, que tem cooperação com o DLA Piper (EUA). 


fonte: Folha.com


5 comentários:

Isso se deve muito a popularização e instalação de fabricas da marca de carros Hyundai no Brasil.

O Brasil mantem incentivos para atrair investimentos também além do retorno o país esta sendo considerado mais confiável, combinação perfeita para o Tigre Asiático.

Os coreanos possuem características fundamentais para terem sucessos em seus empreendimentos.

Sabem dosar ousadia com cautela, como texto fala, e são persistentes. Característica também encontrada nos alemães.

O Brasil está deixando de ser "A Eterna Promessa" e se firmando no cenário mundial, atraindo investidores visionários que estão enxergando nosso momento.

Isso era bem óbvio que iria acontecer, o crescimento da economia brasileira só vai atrair mais e mais investidores e com essa crise, vai melhorar ainda mais, os coreanos são espertos, sabem onde investir seu dinheiro.

Que os coreanos sejam muito bem vindos, e que o Brasil entre nessa disputa, um exemplo são as construtoras coreanas que além de eficazes podem ser a primeira escolha de muitos brasileiros em vista de um mercado imobiliário inflacionado.