terça-feira, 13 de setembro de 2011

Copa 2014 deve impactar mais de 300 mil MPE paulistas

Levantamento da FGV encomendado pelo Sebrae aponta 456 oportunidades de negócios que surgirão no estado com o mundial

Da Agência Sebrae de Notícias
 Shutterstock
Em 2014, São Paulo será muito mais do que a capital do turismo de negócios no Brasil. A cidade deve receber, segundo o Ministério do Turismo, cerca de 258 mil turistas estrangeiros e aproximadamente 1,2 milhão de visitantes de todo o país. Estima-se que cerca de 300 mil micro e pequenas empresas paulistas, de todos os setores, têm chances de crescimento econômico com a chegada do mundial de futebol.

O Mapa de Oportunidades de Negócios para Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede foi apresentado nesta segunda-feira (12), no Estádio do Pacaembu, na Praça Charles Miller, na capital paulista. O evento acontece das 9h30 às 18h. O Mapa é uma ação do Programa Sebrae 2014. Cerca de 6,8 mil empresários já participaram dos seminários em todo o Brasil.

Trata-se de um levantamento inédito encomendado pelo Sebrae à Fundação Getúlio Vargas (FGV). O estudo aponta 456 oportunidades de negócios para micro e pequenas empresas (MPE) que deverão surgir em decorrência da Copa do Mundo de 2014 (antes, durante e após os jogos do mundial) no estado de São Paulo. O setor de comércio concentra 51% delas, seguido pelo de serviços (30%) e indústria (19%).

“A Copa do Mundo é uma chance de aumentar a competitividade das micro e pequenas empresas brasileiras. Assim, ao identificarmos as oportunidades que serão geradas e os requisitos necessários, estaremos preparando as empresas para se desenvolverem antes, durante e, principalmente, após o evento. Este será o grande legado que a Copa do Mundo deixará para os pequenos negócios brasileiros”, destaca o presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barretto.

Investimentos

Até 2013, por meio do Programa Sebrae 2014, serão investidos R$ 80 milhões em iniciativas para possibilitar que os pequenos negócios aproveitem as oportunidades da competição. Os recursos estão sendo aplicados em programas de consultoria, inovação e acesso a mercados, como o Sebrae Mais, Sebraetec e Centrais de Negócios. Em todo o país, o estudo revela 930 oportunidades de negócios para micro e pequenas empresas nas 12 cidades-sede.

O estudo mapeou nove setores de atuação: construção civil, tecnologia da informação, madeira e móveis, têxtil e vestuário, turismo, produção associação ao turismo, comércio varejista, agronegócios e serviços.

O destaque no estado fica por conta da tecnologia da informação, na qual foram identificadas 80 oportunidades de negócios. Em seguida, vem o agronegócio, com 75. Turismo e produção associada ao turismo levantaram juntas 139. Entre as oportunidades listadas em tecnologia da informação estão: serviço de suporte a distância (online) a equipamentos e sistemas de comunicação de dados; projeto e implantação de sistemas de proteção de redes (firewalls, contingências e outros); dispositivos para apresentação (Projetor, LED,TV, DVD) e soluções de gestão hoteleira.

Cultivo

Já no setor de agronegócios, as MPE devem ficar atentas, entre outros aspectos, ao cultivo de produtos para bares, restaurantes e hotéis, entre eles, frutas tropicais, flores e plantas ornamentais, plantas para condimentos (pimenta do reino, alecrim, cominho); serviços de rastreabilidade (cadeia produtiva dos bovinos); fabricação de cachaça, vinho, gelo, sorvete e armazenamento de produtos.

No turismo e produção associada ao turismo, o estudo levantou oportunidades em: albergues, sorveterias, cama e café; confecção de brindes, sistema de credenciamento, serviços de aluguel de automóveis, ônibus, vans; cursos relacionados à segurança alimentar; locação de geradores; limpeza e manutenção; produção de vídeo e programas; organização de festas e tradução de textos.

"O Sebrae em São Paulo está pronto para ajudar os empresários a superar as dificuldades. Readequamos nosso calendário de consultorias e cursos para atender a partir de agora (setembro/2011) os interessados em melhorar a gestão de sua empresa e a inovação de seus produtos e processos", afirma o superintendente do Sebrae em São Paulo, Bruno Caetano. "Também vamos estar junto das lideranças governamentais e públicas para propor soluções que ajudem a desburocratizar os procedimentos relatados pelos empresários”, completa.

Desde junho, o Sebrae vem fazendo uma série de eventos com empresários nas 12 cidades-sede para divulgar os números locais do estudo. Os encontros foram realizados no Rio de Janeiro, Brasília, Cuiabá, Natal, Recife, Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Salvador e Manaus. Na sexta-feira, Porto Alegre recebe a programação.


Fonte: Site da Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios

5 comentários:

A copa não traz apenas melhorias em estruturas esportivas e metropolitanas mas também oportunidades para todos que querem e sabem tirar proveito delas.

Se apenas a estrutura basica para o evento desse porte for realizada já acarreta muitas mudanças, boas oportunidades paras os empresários

O texto confere uma enfase ao Estado de São Paulo, mas eu ressaltaria o Estado do Rio de Janeiro no meio desse nicho de novas oportunidades.

A copa do Mundo trará inúmeras oportunidades ao nosso país e aos nossos Estados, alguns mais que outros.

Minha opinião é que o Estado do Rio de Janeiro tem pela frente uma grande oportunidade de voltar a ser o Estado Referência da Federação em se tratando de turismo de negócios.

Temos uma Copa do Mundo pela frente onde diversas oportunidades irão surgir, além das Olimpíadas que pode ser o "empurrãozinho" final para o Estado voltar a ser a Locomotiva do país.
Enormes oportunidades já estão sendo criadas e melhorias em pontos estratégicos já estão sendo feitas.

Acredito que todo o Brasil irá crescer exponencialmente, principalmente as metrópoles, mas acredito que o Rio irá manter uma maior média por ser sede das Olimpiadas em 2016.

Com certeza as empresas que seguirem a cartilha e souberem aproveitar as oportunidades, com planejamento e ousadia, podem superar suas expectativa nesse período.