segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Marketing? Marca? Mas como?


O que diferencias uma empresa das demais ? Qualidade? Preços? Inovação? Pesquisa?


Tudo isso faz parte, mas o que acaba diferenciando uma empresa das outras é a sua marca. Quando me refiro a marca, me refiro a marca que a empresa possui junto ao cliente, como a empresa impressiona seus clientes de modo que ao pensar em um produto você acaba pensando na empresa por consequência.

Em determinadas situações o produto não é o melhor, nem o mais barato, mas o apelo que a marca possui é tão grande que supera possíveis desvantagens que o produto tenha em comparação a concorrência. Veja como exemplo os processadores fabricados pela AMD há 6 ou 7 anos, eles eram mais rápidos e mais baratos que os processadores da Intel. Se você perguntar pra um usuário "comum" sobre a AMD, a resposta que você provavelmente vai ouvir é: não conheço.

A AMD possuía os processadores Athlon 64 desde setembro de 2003 e manteve-se com processadores mais rápidos e mais baratos que a Intel até julho de 2006, quando a Intel lançou a família Core2Duo. Foram quase 3 anos e a AMD continuou uma "estranha" para quase todo mundo, seu market share saltou de 15% para 38% em 3 anos, parece algo interessante, mas digo que faltou uma coisa: a marca.

A maioria das pessoas ao comprar um novo computador queria saber se o processador era Pentium 4. Ninguém sabia que a AMD possuía processadores mais rápidos e mais baratos... ninguém sabia da existência da AMD ! O mais grave de tudo isso é que a AMD não percebeu isso e ficou quietinha e feliz em ter aumentado sua participação no mercado, só não esperava que a Intel fosse lançar um produto superior, mais caro é verdade, mas com um apelo muito forte junto ao consumidor por se tratar da Intel. O resultado disso é que hoje, 5 anos depois, a AMD possui apenas 20% de market share, e isso porque ultimamente vem aumentando sua participação no mercado, já esteve pior. A AMD não soube aproveitar o período em que era líder em tecnologia e não deu ao cliente uma marca com a qual se identificar.

Não adianta ter o melhor produto e o preço mais baixo, se o cliente não conhece sua empresa e não possui nenhum tipo de vínculo emocional com o que lhe é vendido. Além de possuir bons produtos, preços acessíveis, tecnologia de ponta, qualidade, o mais importante é fazer seu cliente tomar conhecimento disso, ele precisa saber que sua empresa tem tudo isso ou basta ele acreditar que você possui tudo isso... simples assim. Faltou divulgação, publicidade, marketing, merchandising, resumindo faltou tudo o que era necessário para apresentar a AMD aos consumidores e assim facilitar sua ascensão.

A STRATEGE CONSULTORIA possui profissionais qualificados, que podem oferecer soluções diferenciadas para criação da sua marca junto ao cliente: publicidade digital, redes sociais, email marketing e muito mais.

4 comentários:

Também acredito nesse conceito, o preço influencia mais marca muito mais, um exemplo forte de marca é a coca-cola onde você quer lembrar de um comercial, você pensa nela, quer pensar em uma empresa, você pensa nela, a marca é tão forte que mesmo quem não gosta toma ela por causa de sua força de marketing.

Exatamente o que acontece.
As vezes optamos por um bem de pior qualidade e mais caro pelo simples fato do apelo da marca....o valor agregado a marca.

As pessoas só compram aquilo que conhecem, quem pagaria por algo desconhecido. A marca acrescenta valor, mas não deixe ter qualidade.

O que faltou pra AMD foi arriscar mais e acreditar no potencial do seu produto.