sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

O que é compra coletiva? Entenda mais sobre isso!

Os sites de compras coletivas surgiram em 2010 no Brasil e rapidamente se tornaram uma febre que modificou a maneira do brasileiro se comportar em relação às compras pela internet. Em poucos meses surgiram centenas de sites e o movimento se revelou um dos mais intensos da internet brasileira nos últimos tempos. Não era para menos, os consumidores brasileiros se identificaram com o modelo de negócio dos sites de descontos e aderiram em massa a essa nova maneira de comprar pela rede. A pergunta que está no ar é: Será quer ainda existe lugar para mais sites de compras coletivas? A resposta é sim.
Primeiro Ato – Sites de compras coletivas como novidade
A primeira onda dos sites de compras coletivas surgiu com o Peixe Urbano, pioneiro no mercado brasileiro que lançou o conceito de compra coletiva e de certa forma explicou ao público como a novidade funcionava. A adesão no início foi modesta, mas a força da proposta e capacidade de comunicação dos pioneiros tratou de convencer o público que era uma boa opção de compra online. As redes sociais se incumbiram de espalhar a notícia e no rastro da novidade vieram outros sites, alguns deles, já com tradição no mercado americano como o GroupOn, que mesmo tendo problemas iniciais em relação ao domínio, acabou por se estabelecer como uma potência na disputa deste mercado no Brasil.
O sistema parecia tão simples, que logo vários outros sites apareceram e transformaram esse modelo de negócio no fenômeno do e-commerce brasileiro em 2010. Em dezembro, já havia mais de 400 sites de compras coletivas em funcionamento – ou em fase de implantação – no Brasil. Vitória do empreendedorismo brasileiro que demonstrou agilidade na resposta por novas demandas. Mas faltou um ingrediente nessa receita de sucesso a inovação.
A grande maioria dos sites que surgiram, seguiram, sem modificação, o modelo do Peixe Urbano e outros pioneiros, esquecendo de acrescentar um “algo mais”, o que é essencial em qualquer negócio, principalmente em mercados em franca expansão e altamente competitivos como é o de sites de compras coletivas. O resultado desse posicionamento é a saturação do mercado, que mesmo sendo digital e sem fronteiras, também encontra momentos em que a oferta é maior que a demanda e inviabiliza novos lançamentos. Portanto, fica a pergunta, o que fazer para inovar?
Segundo Ato – Sites de compras coletivas segmentados – Tendências
O empreendedor digital enfrenta nesse momento um cenário favorável e desafiador. O acompanhamento de ofertas em sites de compras coletivas já se transformou em um hábito dos internautas mais “antenados”, o que inclusive já causou a primeira conseqüência dos sites de compras coletivas, os sites agregadores de ofertas como o SaveMe.com A tendência é que esse comportamento venha a ser seguido pelos novos usuários que chegam ao mercado, principalmente os que pertencem às classes C e D, os novos e importantes participantes do mercado digital que já respondem por mais de 50% das compras online. O desafio portanto é desenvolver uma estratégia que não só atraia estes novos usuários, mas que também os fidelize transformando-os em visitantes assíduos dos sites de ofertas.
O caminho natural dos sites de compras coletivas daqui para frente é a segmentação e já estamos vendo isso acontecer. Recentemente foram lançados sites de compras coletivas altamente segmentados, como os que tem como destaque pet shops, mercado rural, hoteleiro e até de cursos online. As opções são as mais variadas possíveis e o que cria o diferencial é o foco em uma base de usuários altamente segmentada e ofertas focadas nos interesses dessa base. Essa é a tendência que se desenha no cenário atual.
Do ponto de vista tecnológico e gerencial, o momento é de capacitação cada vez maior das equipes de TI e de vendas dos sites de compras coletivas. No que diz respeito a TI é necessário o aprimoramento das ferramentas de monitoramento para facilitar a identificação de estratégias que possuam maior poder de conversão de vendas. Do ponto de vista da área comercial, é necessário treinar adequadamente as equipes de venda para que possam explicar, de forma fácil de ser entendida, o funcionamento dos sites de compras coletivas para os clientes em potencial, o que tem sido identificado como um ponto fraco nos sites que estão sendo lançados ultimamente.
E você? O que acha que será tendência para os sites de compras coletivas? Deixe seu comentário.

4 comentários:

Um dia desses estava fazendo um banco de dados dos sites de compra coletiva, percebi que eram tantos que eu não conhecia e tantos que existiam que esse banco de dados poderia tomar muitos dias da minha vida que eu não iria conseguir colocar todos, vi também uma espécie de rede social dos sites de compras coletivas, onde encontrei mais sites, além de também os sites que aderem promoções de outros sites de compra coletiva, enfim a tendência é só aumentar e de várias maneiras como vem acontecendo no dia a dia.

Acredito que se cada site tiver um diferencial, investir em algo diferente, ter uma segmentação, a tendência deles vai ser crescer mais e mais.

Não acho que seja tendencia, deve se estabilizar uma vez que o oba oba acabou

Puxa, nem sabia que existia tantos outros sites de compras coletivas. Realmente, pra mim, era Peixe Urbano, Group On e só. No entanto, existem vários, muitos.
Não conheço muito os outros, até porque são muitos mesmo, mas acho que de alguma forma o Group On e Peixe Urbano ainda tem algum diferencial que os tornam mais conhecidos em determinados lugares. O que prova, que assim como qualquer empresa que trabalhe com o mesmo tipo de serviço há sim a possibilidade de se sobressair se tiver "algo mais" a oferecer.
E no geral, os sites de compras coletivas estão abrindo um leque cada vez maior de opções na área compras pra qualquer consumidor.